segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

A "volta" dos que quase foram

Não sei muito bem o que escrever, não estruturei nada. Desculpe se, por vezes, algo parecer confuso.

Antes de tudo, senti a necessidade de compartilhar coisas com vocês, mas não sei se estou realmente pronta e forte o bastante para voltar. Acho que não venho aqui direito desde o meu aniversário. Pois bem, agora tenho menos de uma hora para sair de casa e ir passar o Natal na minha avó. É angustiante saber que talvez eu não consiga me segurar, acabe comendo além...

Ando vivendo no automático. Vou à faculdade, volto, estudo, vejo séries. Sem pensar muito em outra coisa que não seja aquilo que estou fazendo no momento. Isso porque, quando eu penso, me perco. Ontem, chorei na rua e, gente... me ofereceram dinheiro achando que eu não tinha como voltar pra casa. Na minha atual situação financeira, eu bem deveria ter aceitado... Enfim, tudo porque pensei por um momento em uma parte dos obstáculos postos na minha vida (não todos, senão me matava).

E aí, sei lá... Comecei tantas dietas que não passaram do primeiro dia... Reparei que quando usava a pulseira, tudo ia bem, mas aí eu tirava pra tomar banho e esquecia de colocar, comia. É estranho. Não tenho a coragem de pisar na balança novamente. Da última vez marcava 52kg. Queria que julho voltasse. Foi um bom mês. A dedicação ao desafio me fez conseguir um bom corpo, estava no caminho certo, quase alcançando meu objetivo. Agora, um alien está sendo gerado na minha barriga.

Só consigo alguma força mínima pra voltar quando fico vendo fotos, ou lendo o Skinny Gossip. E aí, voltando ao assunto do Natal. Teve um post lá sobre o dia de Ação de Graças, que eu achei interessantíssimo, e uma técnica para resistir bastante era imaginar o Karl Lagerfeld sentado à mesa.

Risos.

Parece piada (talvez seja), mas me senti bastante constrangida com essa ideia de comer em frente a modelos ao Karl. Funcionou algumas vezes que pratiquei. Também tentarei:

  • beber bastante água, para ficar cheia antes da ceia;
  • comer pequenas porções e não permitir que a comida se amontoe no prato (é bom espalhar bem a comida para dar a impressão de que está comendo mais);
  • dar preferência às comidas de baixa caloria;
  • pular a sobremesa;
  • fingir que não gosto de determinado prato ou que recentemente descobri que tinha alergia a tal ingrediente;
  • fingir enjoo, dor de cabeça, qualquer coisa para me manter afastada da mesa.

E é isso. Resistam. E não esqueçam que, em algum lugar, uma pessoa (eu) estará resistindo junto com vocês.

Sério, gente. Essas datas estragam os planos de qualquer um.

2 comentários:

  1. Nossa, essas dicas são perfeitas, vou colocá-las em prática no ano novo :D
    Funcionaram no seu Natal?
    Veronica, eu penso que preciso exatamente viver assim, viver o agora, no automático, pois tb passo mal, tenho crises, quando penso no q realmente me rodeia... talvez seja melhor assim! Força! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ótimas dicas, eu consegui fugir porque estava com minha irmã internada no natal, então, foi a desculpa que eu usei..
    Seguindo!

    ResponderExcluir